Tempo de sobra

Tempo de sobra

15/05/2020 0 Por Adriana Araújo

O que você tem feito nessa quarentena?

Tem gente que arruma a casa, faz exercício, busca descobrir um novo hobbie, toma sol da janela…

Pois é, cada um vai descobrindo uma coisa para ocupar o tempo que sobra  porque, querendo ou não, a gente tem mais tempo em casa, mais tempo com a família e consigo mesmo.

A descoberta foi não saber o que fazer com tanto tempo.

Acredito que muitas dicas vão surgir do que fazer, por isso trouxe um relato muito bacana de uma realização nessa quarentena.

Não só uma realização, mas uma forma de obter uma renda extra fazendo o que ama, aproveitando o isolamento para colocar em prática um projeto adormecido.

Emily é bióloga, trabalha como analista para transplante de órgãos e sempre amou bordado. Com a quarentena conseguiu organizar seu tempo e colocar em prática seu desejo de apresentar seu trabalho com o Ponto Reto, uma opção personalizada de camisetas com bordados a mão e bordado bastidor para aquele toque especial na decoração, tudo sob encomenda e envio para todo o Brasil.

“Eu sempre bordei, aprendi ainda menina. Fiz várias coisas aqui para casa. Conheci pela internet um movimento de meninas que bordam desenhos mais moderninhos, então resolvi tentar. Os amigos pediam um bordado e eu fazia. Sempre quis ter um projeto empreendedor, onde eu poderia criar a vontade e ganhar uma grana, mas nunca tive tempo por causa do trabalho. Com o isolamento me vi obrigada a colocar em prática.”

 

 

O cenário atual é novo para todos, mas o resultado vem do que nós fazemos com a novidade, como nos posicionamos e aproveitamos o tempo que está “sobrando”.

Na realidade o tempo é o mesmo, o que muda é a administração dele. 

Percebemos que antes a rotina exaustiva nos deixava engessados, reféns do “não posso” ou “não dá tempo”, e agora tem muito tempo e pouco aproveitamento.

A Emily conseguiu aproveitar a oportunidade para mostrar sua arte. 

“Apesar  de amar meu trabalho, tenho que seguir muitas regras, no bordado eu me sinto livre. Sou apaixonada pelo bordado, e quero que as pessoas valorizem os trabalhos manuais. Até porque o artesanato é uma expressão artística também.”

E você, o que tem feito?

Conta pra gente.