Uma mãe profissional

Uma mãe profissional

18/10/2019 12 Por Adriana Araújo

Ser mãe e profissional são apenas duas das inúmeras capacidades de nós mulheres modernas.

A maternidade foi e acredito ainda ser um dos pontos que as empresas temem ao contratar uma profissional.

Ficar sem um funcionário é difícil, mas quando o período equivale a uma licença maternidade, uma semana de virose do filho, ou sair mais cedo para buscar a criança que se machucou na escola “só piora”.

O que o mundo precisa saber é que nós mulheres e mães temos capacidade de gerenciar esses dois perfis reais em nossas vidas.

Somos mães, profissionais, donas de casa e amigas sempre que preciso.

Quando uma mãe está prestes a encerrar o período da licença maternidade alguns dilemas surgem em seu coração.

Deixar o filho na creche, contratar uma babá ou deixar a criança com algum familiar, decidir se dedicar ao filho ou realmente voltar a trabalhar…

Algumas mães encerram esse período de forma mais tranquila que outras.

Eu pude contar com minha sogra e minha mãe quando tive que retornar ao trabalho, e foi muito mais tranquilo voltar e saber que não era um estranho que estava com minhas filhas.

Sempre trabalhei fora, mas teve uma fase das crianças que percebi a necessidade delas da minha presença e acompanhamento.

Foi quando cogitei trabalhar por conta própria e poder me dedicar mais para as meninas, mas falaremos mais sobre essa fase em outro post.

Voltar a trabalhar ou não?

Eu conheço mães que enfrentaram muita dificuldade com esse dilema, pois eram cobradas pela sociedade por uma posição.

Quero te dizer uma coisa, se você decidiu voltar ao trabalho e se desdobra para dar conta, parabéns. Você é super capaz de fazê-lo, e não vai ser fácil, mas tenha certeza que vale a pena. 

Vale a pena saber o que quer, que é uma profissional competente e comprometida. Que tem um motivo maior para dar seu melhor em tudo que faz, e quer ser exemplo para seus filhos.

Se sua decisão foi permanecer ao lado da sua cria, vivenciar todo o seu desenvolvimento de perto, não perder a primeira infância e ser mãe em tempo integral, parabéns da mesma forma.

Isso fará a diferença na vida de seus filhos e na sua e expande sua capacidade profissional. Com sua decisão, você assume  o papel de educadora, nutricionista, enfermeira, e muito mais.

Se sua opção for tentar unir os dois, tornar-se empreendedora para ser dona do seu próprio tempo e também poder dedicar-se mais aos seus pequenos, parabéns igualmente.

Isso só comprova que você mulher é completa e capaz de fazer da melhor forma possível tudo que decide fazer por amor.

E o amor em tudo que você faz demonstra o que é importante para sua vida.

É importante ser uma profissional comprometida, que apesar de se afastar pelo filho doente, coloca tudo em dia ao retornar.

É importante aproveitar cada momento e descoberta do filho, se atualizando nas melhores papinhas, brincadeiras educativas, e cochilar grudadinhos após o almoço.

É importante escolher trabalhar com o que gosta, no tempo que você estipulou e de uma forma inovadora com um “auxiliar” que te alegra só de olhar.

Na vida, o importante é saber o que realmente importa. É redundante mesmo!

Então amiga, a realidade é: gente para dar palpite, vai aparecer de todos os lados, mas somente você sabe o que é importante para a sua vida e sua carreira.

Minha dica é que você siga o seu coração e se a situação apertar, recomece.

Decidir ser profissional não te faz menos mãe, da mesma forma, decidir ser mãe não te torna menos profissional.