Aquele momento dos 30: sem tabu nem crise

Aquele momento dos 30: sem tabu nem crise

21/06/2020 8 Por Jaqueline Reis
▶️ dê o play na música e entre no clima!

.
.
Você está sentado na areia, de costas para o mar, debaixo do sol com seus brinquedos de praia e rodeada pelas pessoas que você mais ama. Seu pai te ensina como pode ser incrível construir um castelo ali, usar o baldinho de molde, imaginar quem mora ali, idealizar o lugar perfeito. Só que de repente a onda chega forte e destrói tudo. Seu castelinho vai por água abaixo. E o susto vem seguido por risadas e você começa tudo de novo.

É uma memória infantil que provavelmente todo mundo tenha. Foi assim que junho de 2020 chegou pra mim. Intenso e ao mesmo tempo cheio de surpresas – algumas boas e outras nem tanto.

Eu amo comemorações. Amo estar rodeada de pessoas que eu considero especiais, brindar a vida com coca-cola… Planejei uma festa de 30 anos desde o ano passado e, apesar de não ter conseguido aglomerar por conta da pandemia, não me senti frustrada. Completei 30 anos com saúde! Completei os 30 com a oportunidade de agradecer, num momento de reflexão.

Nos últimos meses oscilei entre o “tudo certo/tudo surto”, mas foi muito válido para o meu crescimento. Repensei amizades, a maneira como me relaciono com as pessoas que eu gosto, valorizei cada momento do dia a dia que antes parecia sem importância e cheguei a conclusão de que fazer planos é apenas uma maneira para não andar na neblina, não voar às cegas. Não há garantias de que tudo saia como foi pensado porque o ‘roteiro’ da vida não está nas nossas mãos. (Aliás, quase joguei o planner fora haha)

Sempre ouvi dizer que os 30 anos chegam com uma cobrança danada. 30 anos e sem filhos? 30 anos e não fez a pós-graduação? 30 anos e não conquistou tudo ?

Olha… esse peso não veio pra mim. Consigo olhar pra trás e ver quantas coisas bacanas fiz antes dos 30.

– Viajar sozinha
– Mudar o cabelo
– Escalar um vulcão
– Acampar
– Fazer trilhas
– Comprar meu primeiro apartamento
– Ter um blog
– Conhecer o amor da minha vida
– Investir meu dinheiro

(Aliás, você que está lendo este texto pode não gostar de nenhuma dessas coisas que listei. E tudo bem, entende?) Todas essas coisas não foram pra cumprir um checklist ou por preocupação com idade. Apenas vivi. Sem crise. Sem pressa.

Meu mês chegou e já havia aceitado que passaria meu aniversário apenas com o meu marido (cheia de vontade de furar a quarentena para ver minha família, claro). Mas o 7 de junho foi radiante como deveria ser. Recebi carinho de todos os lados. Mensagens que chegaram como abraços. Videochamadas que pareceram carinhos.
Presentes singelos que me fizeram ter um solucinho no coração. Recados nas redes sociais que trouxeram memórias fortes. E ganhei até balões, que me surpreenderam muito!!

Dei mais um passo rumo ao autoconhecimento. Me aceitar. Me desapegar. Me arrepender. Encarar medos. Reconhecer erros (e acertos também.) O que aprendi é que não importa se você está no topo ou no lugar onde sempre sonhou e sim o que você “está construindo” – assim, no gerúndio mesmo, indicando continuidade.

Foi lindo, leve e cheio de gratidão ❤️

E o que vem depois dos 30? Quero me abrir para recomeços. Aprender. Amadurecer. Me conta qual foi a sua experiência. Como se imaginou aos 30?