Mãe tira férias?

Mãe tira férias?

27/02/2019 4 Por Adriana Araújo

Café na cama, massagem nos pés, bate papo com as amigas, uma volta no parque ou no shopping sem ter hora pra voltar… Que delícia! Descanso para o corpo e mente, mais que merecido. Quem hoje em dia não almeja um dia assim? Pois é, será que mãe tira férias? Quem não tem uma vida corrida, cheia de compromissos, trabalho, estudo, família e muito mais? Para dar conta de tanta responsabilidade seria necessário um dia de 30 horas. Nós mulheres enfrentamos essa realidade, se mães então, o trabalho dobra e o desgaste também.
A maternidade é linda, carregada de descobertas e emoções vividas em alta intensidade por mãe e filho a cada fase da vida. Nenhuma mãe tem um manual de instruções para a educação dos filhos. Os palpites diversos que muitos estão sempre dispostos a dar não contam, pois cada filho tem uma personalidade. E por mais que recebam a mesma criação e os mesmos cuidados, eles são completamente diferentes. Cada mãe tem uma forma de lidar com tamanha descoberta e desafios. Algumas tiram de letra, outras sofrem maus bocados e podem até se considerar “não tão boas”.
A realidade nua e crua é que os comerciais de margarina enganam e os filhos nem sempre se comportam, obedecem e são perfeitos. E nem precisam ser assim, como nós mães também não.
Tenho duas meninas, uma completamente diferente da outra. Lindas, inteligentes, educadas… Preguiça, criatividade, compaixão, delicadeza, manha, gênio forte, sensibilidade, paciência e impaciência, alegria e prestatividade, tudo isso é uma mistura que faz das minhas meninas o que são. Muito do que vejo nelas tenho em minha personalidade e percebo ter herdado da minha própria mãe.
Não li livros sobre educação (apesar de conhecer muitos excelentes no assunto) e não sou modelo de mãe – e nem quero ser – busco apenas ser o melhor para elas e ainda assim eu sei que não sou. Tenho minhas falhas, inseguranças e muitos medos. Nem sempre sou capaz de falar ou repreender com paciência e mansidão. Expresso meu cansaço pela carga que assumi, falo da dificuldade de conciliar tudo e a frase que a maioria das mães já falaram “o que vai ser de vocês sem mim”. Sinceramente não vejo problema em ser transparente com os filhos, vivemos uma realidade que, por conta da ausência, os pais tornaram-se permissivos e tentam compensar os filhos dando tudo que puderem sem perceber que dedicar tempo a eles é o que importa. E dedicar tempo não é fácil! Organizar o tempo para que tudo seja realizado é complicado, por isso a necessidade de um dia de 30 horas.
Mas se com 24 já cansa imagine com 30?! O ponto aqui é que o cansaço é inevitável, mesmo assim a mulher deve demonstrar e assumir que se cansa e precisa de descanso, de uma pausa, atenção e cuidado para si. Ninguém é de ferro e consegue ser forte o tempo todo para todos, seja para filhos, pais, companheiros, amigos e o trabalho.
Apesar de assumir muita responsabilidade dentro e fora de casa, mostrar força e capacidade de fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo, a mulher é frágil. A mãe é guerreira, mas também é frágil e se cansa. Então sempre que possível tire uma folga.
Escapar, sair só com as amigas, fazer um “day spa”, caminhar sem pressa no parque, um chá só com as meninas, uma volta de carro sem rumo, qualquer coisa que seja relaxante e tire pelo menos por um dia o peso de carregar tudo nas costas. Fazer isso não é, de forma alguma, um sinal de fraqueza e sim de amor-próprio. capacidade de perceber que é necessário cuidar-se e não só cuidar dos outros.
Pare quando necessário, recarregue suas baterias, dê muitas risadas, isso faz bem para alma e para pele. Aproveite a vida é curta demais para não curtir e só cumprir os seus “deveres”.